Elon Musk poderá mudar o nome de seu lancha-chamas para evitar problemas com a alfandega

O gênio, milionário e filantropo Tony Stark Elon Musk chamou a atenção nos últimos tempos depois de anunciar que pretendia começar a fabricar e vender lança-chamas que mais parecem versões modificadas de armas de airsoft, mas com um tanque de propano acoplado. O CEO da Tesla e da SpaceX chegou a iniciar a pre-venda dos dispositivos que estão sendo vendidos pela sua empresa “The Boring Company” (“A Empresa Entediante” em tradução livre) pelo nome de “Flamethrower” (“Lança-Chamas”).

A pre-venda foi um sucesso total e mais de 20.000 unidades foram vendidas pelo valor de U$500, mas esse grande numero chamou também atenção das autoridades americanas, inclusive um deputado do estado da California já iniciou um processo para proibir a venda dos dispositivos pela empresa, “Nós não deixamos que as pessoas andem pelas ruas e compre tanques de guerra ou munição de nível militar” disse o deputado Miguel Santiago em um pronunciamento feito na ultima terça feira, ele ainda acrescentou “Eu não consigo nem imaginar os problemas que esse lança-chamas irá causar aos bombeiros e aos policiais”.

Além de chamar atenção das autoridades locais, o produto chamou atenção também das alfandegas e empresas de transporte que irão levar esses produtos, sendo um dos principais problemas o nome do produto em si “Lança-chamas” e com isso Elon Musk twittou essa semana dizendo que estava buscando soluções para o problema como por exemplo mudar o nome do produto para “Isso não é um lança-chamas” ou até mesmo chamar de “Dispositivo de Melhoria de Temperatura”, agora só nos falta ver como o bilionario vai resolver esses problemas e começar a distribuir suas “arminhas de fogo”.

Confirmado DayZ para Xbox One esse ano, mas a versão para PS4 poderá ter que esperar!

DayZ foi um jogo que surgiu como um mod para Arma 2 que adicionava sobrevivência e zumbis ao jogo, mas depois de muito sucesso o jogo acabou se tornando um jogo standalone e um dos maiores jogos do gênero e à um bom tempo atrás foi anunciado que o jogo se tornaria multiplataformas chegando para Xbox One e para PS4, mas esse final de semana finalmente a espera chegou ao fim pois a equipe de desenvolvimento do jogo anunciou através de seu Twitter oficial que com “100% de certeza” o jogo chegará para Xbox One esse ano, mas o lançamento para PS4 poderá sofrer atrasos e chegar somente no ano que vem disseram os desenvolvedores.

“A versão para Xbox One chegará em algum ponto desse ano com 100% de certeza, mas não temos certeza sobre uma data para PS4, será lançada eventualmente, mas talvez não esse ano”

Agora só nos resta aguardar em que momento desse ano o jogo chegará as lojas e uma das duvidas é se ele será lançado completo ou somente em forma de Game Preview. O que você acha?

[Review] Cuphead

Cuphead é um jogo desenvolvido pelo estúdio MDHR e distribuído pela Microsoft Studios, é de gênero Run and Gun/Plataforma onde toda a ação e gráficos foram inspirados nos desenhos animados da década de 1930, deixando isso bem claro pelo seu design característico, onde tudo é muito colorido e animado, mas ao mesmo tempo é macabro graças a sua narrativa. Cuphead  chega a lembrar vários jogos como por exemplo Metal Slug e Mega Man, pelo formato 2D e jogabilidade no estilo plataforma.Os protagonistas do jogo são irmãos que buscam aventuras em Inkwell Island até que o inesperado acontece e eles se veem obrigados a passar por diversos perigos e chefões para salvar suas vidas. O jogo foi um sucesso, chegando a vender mais de 2 milhões cópias,  lançado dia 29 de Setembro como um exclusivo de Xbox One e PC.

BRINCANDO COM O DIABO

Cuphead e Mugman são dois irmãos que moram em Inkwell Island. Um dia eles  saíram e se afastaram demais de sua casa, encontrando o cassino do Diabo, onde ficam encantados e começam a jogar sem parar ganhando todas as partidas do cassino e com isso chamando a atenção do King Dice, gerente do cassino. Com a chegada do Diabo(dono do cassino), ele oferece uma proposta para os dois irmãos que caso eles ganhem a partida eles poderiam ficar com todo o lucro do cassino, mas caso contrário eles teriam que dar suas almas para o Diabo. Cuphead aceita sem ao menos pensar na segunda parte da proposta colocando assim literalmente sua vida e a de seu irmão em jogo fazendo com que o jogador tenha que correr “na pele” do personagem para salvar a alma dos dois.

Cuphead apresenta uma história simples porém envolvente em certos pontos do game, ao decorrer do jogo sentimos que ela não pesa tanto pelo fato que o game consiste em nos colocar em diversas lutas, uma mais difícil que a outra, deixando assim o jogador preocupado com os movimentos que o boss aplicará em sua batalha, mas um ponto forte que deixa os jogadores curiosos e é ai que entra a parte de ´´certos pontos do game´´, é que durante a gameplay ficamos nos perguntando o que acontecerá com os irmãos e se essa aventura realmente valeu a pena e pelo fato de tantos personagens serem apresentados ao longo da gameplay a curiosidade é despertada ainda mais e o jogador se vê como responsável para ir até o fim e assim descobrir o que irá acontecer com as almas desses personagens, essa curiosidade ocorre pois o game não explica a origem de nenhum dos chefes, ele simplesmente os coloca para batalhar contra os irmãos fazendo com que. O e queira descobrir mais sobre os chefões que derrota, sendo o único objetivo desses chefões derrotar Cuphead e Mugman para que a alma dos irmãos seja levada ao Diabo, coisa que temos que impedir.

BACK TO THE PAST

Cuphead é um desenho animado jogável, onde personagens criados e desenhados a mão criam vida, o realismo deixa o ambiente do jogo fluir de maneira pouco vista em jogos hoje em dia, deixando assim uma sensação de comodidade em relação aos acontecimentos gerados pelo game enquanto jogamos, lembrando muito também as animações da Disney dos anos 30 deixando claro suas referências a outras animações também dessa época, isso fica bem claro pela aparência dos personagens como a Hilda Berg(BOSS) inspirada na Betty Boop, como por exemplo também o capitão Briny inspirado no Brutus e um último exemplo Werner e seu gato robô inspirado no Tom e Jerry, essas inspirações são muito claras pelas formas que esses personagens são abordados, deixando o jogador com um sentimento de simpatia e carinho pelos personagens sem ao menos conhecer eles direito.

O jogo se passa em Inkwell Island onde existem diferentes partes desta ilha que são chamadas de Inkwell Island I, II, III  e uma última parte que é onde tudo irá fazer sentido. As 4 diferentes partes da ilha embora tenham um estilo gráfico semelhante, acabam sendo bem diferentes uma das outras, seja pelo cenário de fundo ou pelos tipos de inimigo que você encontra nessas partes da ilha, fazendo com que você não sinta cansaço e nem repetição durante o jogo.

JOGABILIDADE

O jogo nos trás um sistema de compras de itens através de uma moeda que ganhamos durante as diversas fases do jogo, com essas moedas podemos comprar diferentes tipos de “munição” que causam diferentes tipos de danos e saem em diferentes formatos, lembrando que só podem ser utilizados 2 tipos de “munição” por fase, outras coisas que podem ser compradas na loja são as Super Art e também habilidades diferenciadas para o personagem, como: Heart, P.Sugar e Smoke Bomb. Heart lhe oferece uma vida extra, já com o P.Sugar o personagem adquire a habilidade de pular dando o parry automaticamente e por fim o Smoke Bomb que ao meu ver é a melhor habilidade do jogo, pois ele modifica seu dash fazendo com que o personagem desapareça durante um ataque inimigo e apareça na direção onde o dash foi utilizado, deixando assim a habilidade de esquiva mais fácil de ser utilizada.

Já o Super Art é o especial que temos no game, existem 3 variações desse especial, sendo que uma dessas variações já está inclusa em nossos personagens (que para mim é a melhor Super Art do game), já as outras duas temos que comprar na loja do jogo, podemos apenas utilizar esse especial quando ganhamos 5 cartas durante a fase que é adquirida com base nos tiros acertados nos inimigos. A primeira Super Art se chama Milk Beam (feixe de leite) usando o leite de suas cabeças Cuphead e Mugman derrama-o como um feixe horizontal que causa um dano considerável no inimigo, já a segunda se chama Invincibility (invencibilidade) faz com que os irmãos se transformem em uma cabeça gigante deles próprios e depois que essa cabeça gigante desaparece deixa os personagens de ouro e invencíveis por alguns segundos antes de voltarem a sua forma original, e por último, mas não menos importante temos o Giant Ghost(fantasma gigante) onde os personagens enviam suas almas para fora dos seus corpos, gigantes e muito musculosos,  ele danifica inimigos próximos por aproximadamente 10 segundos antes de desaparecer, lembrando que o fantasma vai na direção em que o personagem estiver.

OBS: Caso esteja jogando em co-op, se um personagem apenas conseguir as 5 cartas e ele ativar a Super Art, apenas ele irá se beneficiar do especial.

O jogo nos oferece de início apenas um tipo de munição para os tiros, e uma Super Art. Existe no game dois tipos de chefes, o primeiro tipo são os chefes que enfrentamos em terra firme, onde podemos correr, abaixar, pular, atirar e esquivar, já a segunda categoria lutamos contra eles no céus por meio de um avião onde podemos atirar, desviar e se locomover com ele, lembrando que são chefes específicos onde utilizamos essa espécie de avião. Quando estiver enfrentando um boss, caso morra por um determinado golpe que ele tenha usado, quando voltar a batalhar com esse mesmo boss ele usará golpes diferentes obrigando o jogador a decorar todos os golpes que um chefão pode usar em sua fase para assim ser possível vencer.

É possível jogar com mais um player, que no caso irá jogar como Mugman, porém não existe modo online, Cuphead tem apenas o co-op local, para quem quer diversão em dobro e ajuda para passar as fases é uma boa aposta. Lembrando que o game apresenta 3 níveis de dificuldade.

Além de trazer gráficos vintage, o jogo traz uma dificuldade que também lembra a de jogos antigos, e que também è outro fator que fez com que Cuphead se tornasse tão popular,  por ter uma dificuldade acima da média dos jogos atuais faz com que o jogador morra várias e várias vezes até decorar e pegar o jeito da fase,  o que muitos se enganam (eu me enganei também)  è que você pegando o jeito de uma fase, você acha que a próxima é bem mais fácil, e è ai que você se engana e morre o dobro de vezes cada vez que joga. Com isso podemos concluir que sua dificuldade não è nada amigável e não condiz com os jogos atuais, assim pegando muita gente de surpresa, achando que só porquê è animado è para criança e esse è o seu maior erro.

OBS: Morri mais de 1500 vezes no jogo 🙁

TRILHA SONORA

Os sons apresentados no jogo anda de mãos dadas com o tema que o game aborda, deixando assim quase com vida própria, as músicas de estilo Jazz são marcantes e além de ter uma boa escolha, apresenta também uma variação entre as fases que deixa o jogador com aquela sensação de quero mais. Os efeitos sonoros dos tiros são viciantes e não incomodam em momento algum, mesmo com várias munições diferentes eles souberam escolher bem os sons que os tiros fazem, bem como também os efeitos emitidos pelos inimigos e suas habilidades usadas contra nós no game, deixando assim uma lembrança boa de cada fase e chefe que enfrentamos.

Segundo o estúdio MDHR a produção da trilha sonora do jogo contou com uma equipe de 42 músicos para executa-lá, são ao todo 56 faixas que variam entre o Jazz e Ragtime, o estúdio também produziu um disco de vinil para a trilha e postou um vídeo em seu canal do youtube mostrando o processo de produção da trilha sonora.

CONCLUSÃO

Cuphead é a prova viva de que nem tudo que é animado é para crianças, longe disso. O game é para gamers de longa data que estão acostumados com vários estilos de jogos e dificuldades, deixando assim o jogador casual com um pé atrás para adquirir o jogo já que poderá adquirir frustração ao jogar,pois nem os gamers de longa data irão se dar bem no jogo que oferece dificuldade acima da média. Com visual incrível e músicas marcantes  jogo está disponível apenas para Xbox One e PC e praticamente garante uma continuação.

[Review] Oceanhorn: Monster of Uncharted Seas

Oceanhorn: Monster of Uncharted Seas é um action-RPG desenvolvido pela Cornfox & Brothers que conta a historia de um garoto que tem que atravessar o mar e passar por diversas ilhas, matar monstros e descobrir segredos perdidos para encontrar seu pai e acabar com o monstro maquina dos mares, Oceanhorn e tudo isso no maior estilo Zelda, para quem é fã da saga de Link, esse pode ser um jogo que vá lhe interessar e a comparação com o clássico da Nintendo ainda vai ocorrer muito durante esse review. O jogo foi lançado 14 de novembro de 2013 para iOS, Android, PC, MAC, Xbox One, PS4, PS Vita e Nintendo Switch.

Era uma vez…

Oceanhorn: Monster of Uncharted Sea conta a historia de um garoto que acorda um belo dia e encontra somente uma carta de seu pai dizendo que saiu para comprar cigarros derrotar o monstro maquina dos mares, Oceanhorn que tem aterrorizado o lugar onde vivem e as únicas pistas do paradeiro do seu pai são um caderno antigo e o colar de sua mãe. Para chegar até seu pai o personagem passa por diversas ilhas e encontra diversos personagens que trocarão favores para ajudar a encontrar seu pai e o Oceanhorn e na passagem por essas ilhas o personagem também encontra diversas relíquias perdidas que lhe dão alguns poderes e habilidades extras.

A historia é um clichê e conta com personagens nada carismáticos que não conseguem ganhar muita da nossa atenção, além disso a historia dos personagens secundários acaba não tendo um desenvolvimento muito profundo o que nos faz não dar importância aos mesmos, Oceanhorn embora esteja totalmente em inglês é o tipo de jogo que pode ser jogado ignorando totalmente a historia que segue em volta do jogo, em poucos momentos os diálogos servirão realmente para alguma coisa ou adicionarão alguma informação interessante a historia.

Mesmo com uma historia simples, Oceanhorn tinha a capacidade de se tornar algo a mais, mas não é o que acontece, qualquer tipo de acontecimento inesperado na historia é inexistente, fazendo com que você possa prever o que acontece no final do jogo simplesmente jogando os primeiros 10 minutos ou então lendo esse review, nenhum tipo de reviravolta no jogo vai deixar você nem um pouco impressionado e isso é algo que com certeza deixa a desejar em Oceanhorn.

Gráficos

Considerando que o jogo foi lançado em 2013 não podemos fazer comparações gráficas com nenhum jogo semelhante dessa geração, mas os gráficos de Ocenhorn são facilmente comparados aos presentes em Zelda: Skyward Sword que foi lançado apenas 2 anos antes. A beleza do jogo também ira depender da plataforma na qual você está jogando, afinal o jogo está disponível para plataformas mobile e plataformas mais potentes como PC e os consoles da ultima geração, mas em geral o jogo se apresenta muito bem e com gráficos bem bonitos no estilo desenho animado, a principal diferença que se nota ao jogar no iPhone ou no PC é o anti-aliasing, que é o filtro que faz com que as bordas dos objetos fique menos pixelada e mais realista. 

Oceanhorn Graficos

É uma sensação boa e de nostalgia que temos quando começamos a jogar Oceanhorn, que para muitos de nós não tínhamos desde a ultima vez que jogamos Zelda, mas embora os cenários sejam variados, afinal são diversas ilhas, cavernas e casas a serem explorados, as texturas se repetem fazendo com que todas as cavernas pareçam iguais, só mudando o formato das mesmas e o mesmo se repete para as casas, já as ilhas embora possuam texturas semelhantes também, possuem climas e decorações diferentes fazendo com que não seja tão notável a repetição de textura.

Jogabilidade

No primeiro minuto de jogo a primeira coisa que você vai notar é a incapacidade do personagem de pular ou de cair da beirada de declives e o fato do mesmo não conseguir pular é algo que leva um certo tempo para se acostumar, afinal durante o começo do jogo você irá tentar pular diversas vezes para alcançar lugares que teoricamente deveriam ser de fácil acesso. Embora esse movimento básico seja inexistente no jogo, ele faz com que outras mecânicas presentes no jogo sejam necessárias para alcançar certos pontos e objetivos.

Oceanhorn Jogabilidade

No que diz respeito a mecânica de luta do jogo, ela é tão simples quanto os inimigos que você irá lutar. No total são somente 4 as armas disponíveis no jogo que são uma espada que possui dois tipos de ataques, um arco que mira automaticamente nos alvos mais próximos, bombas que podem ser usadas contra inimigos ou para quebrar certos tipo de rochas e uma pistola que por algum motivo estranho só é possível utilizar enquanto estiver navegando entre uma ilha e outra de barco. No geral os inimigos não possuem inteligencia artificial muito boa fazendo com que na maioria dos casos seja possível mata-los sem levar nenhum dano ou até mesmo passar por eles direto, no que diz respeito aos chefões, eles normalmente possuem uma mecânica especifica para serem mortos, fazendo com que seja necessário atacar uma área especifica dos mesmos para que eles abram a defesa e você possa tirar dano deles e depois repetir o processo novamente, matar esses chefões é algo relativamente fácil e requer mais paciência do que habilidade.

Uma das coisas mais chatas nesse jogo é a navegação, toda vez que você for ir de uma ilha para a outra o seu personagem vai precisar navegar e você vai precisar acompanhar esse trajeto, embora a navegação em si ocorra de maneira automática você irá precisar atirar em inimigos que se colocarão em frente ao barco e atacarão e você também terá a possibilidade de recolher alguns bônus durante a navegação, nas primeiras vezes pode até ser legal, mas depois acaba sendo algo massante e repetitivo principalmente que o jogo te obriga a ir e voltar de uma ilha diversas vezes em alguns momentos. Algumas mecânicas do jogo nem sequer tem uma utilidade precisa, como a habilidade de pesca, em um certo ponto do jogo você vai ser presenteado com uma vara de pesca e vai ter a possibilidade de pescar 7 diferentes peixes em diferentes ilhas, mas não tem nenhuma missão que envolva essa função fazendo com que só sirva para ganhar experiencia e nada mais, sendo que alguns peixes são muito difíceis de serem pegos até mais difíceis que matar o boss final do jogo.

Oceanhorn Navegação

 

A seleção de armas e magias é bem intuitiva e é um dos pontos fortes do jogo, a mudança entre as armas ocorre de maneira fluida uma vez que você se acostuma com a mecânica. Em geral a simplicidade do jogo acaba não sendo um problema até que chega a hora de realizar os puzzles presentes no jogo, que normalmente são uma das partes mais interessantes nos jogos do gênero, mas em Oceanhorn acabam se tornando algo automático, pois consistem somente em empurrar caixas para poder passar, empurrar caixas em cima de botões ou então ter paciência de andar e andar até encontrar a chave que vai abrir o próximo portão, a ausência de dificuldade para solucionar os puzzles acaba tornando uma tarefa que poderia ser interessante em algo chato e repetitivo, quase tanto quando as texturas das cavernas.

Sons

A trilha sonora do jogo conta com musicas de Kenji Ito e Nobuo Uematsu, consagrados compositores de diversos jogos da franquia de Final Fantasy, Rise of Mana, SaGa, etc. As musicas do jogo ajudam bastante na ambientação do jogo com a historia, criando momentos de tensão, vitoria ou tranquilidade quando necessário, em geral, por mais que as musicas se repitam em diversos ambientes você acaba não notando e tudo flui de maneira incrível, a não ser que você decida pescar, pelo fato de ser uma função mais demorada, você vai com o tempo notar a repetição das musicas e isso pode acabar te irritando.

Oceanhorn Pesca

No que diz respeito a voz dos personagens, se você fala inglês, vai notar que muitas vezes os atores que dublaram os personagens não conseguiram passar as emoções que deveriam fazendo com que a dublagem seja fraca e em diversos pontos ela inicia muito depois que o texto já apareceu na tela e embora os personagens transmitam diversas emoções durante o texto, nem a dublagem e muito menos a expressão facial deles (que não muda nunca) passam esses sentimentos.

Conclusão

Embora Oceanhorn possa ser comparado com Zelda pela jogabilidade, gráficos e estilo semelhante, depois de jogar talvez você quisesse que o jogo fosse mais parecido com a famosa franquia de Zelda, pois embora diversas semelhanças estejam presentes, Oceanhorn é uma versão sem sal do Link e seu mundo, mas talvez um dos pontos positivos do jogo seja o fato que não parecem ter muitas desenvolvedoras fazendo esse gênero de jogo o que torna Oceanhorn talvez um dos poucos nesse estilo além de Zelda e talvez um dos mais novos. O potencial desse jogo é incrível, mas acabou perdendo o brilho com a sua facilidade e falta de capacidade de prender o jogador em sua historia clichê e com poucos personagens cativantes, mas considerando os rumores de um Oceanhorn 2 fico curioso para saber se a empresa vai conseguir emplacar algo único na continuação do jogo, coisa que não conseguiu com o primeiro.

 

Novo super esportivo da McLaren ganha nome de Senna

McLaren foi a equipe pela qual Ayrton Senna correu durante 5 anos, subiu ao podium 34 vezes e ganhou seus 3 mundiais na Formula 1 e para relembrar e homenagear esse grande piloto, a divisão de carros de rua da empresa decidiu batizar seu novo super esportivo de McLaren Senna.

Mas a empresa não escolheu um carro qualquer para levar o nome do tri-campeão brasileiro, a McLaren Senna é simplesmente o carro mais leve da empresa depois do McLaren F1 e é  o carro a combustão mais potente já feito pele marca com um motor 4.0 V8 Twincharged gerando um total de 800 cavalos. No que diz respeito ao design do carro, ele ganha um look renovado em fibra de carbono, ganhou também um grande aerofólio fixo na parte traseira e é um carro com cara de agressivo, ainda sim talvez um dos detalhes mais interessantes desse modelo sejam as portas que possuem partes em vidro que permitem enxergar através, seja de dentro para fora que vice-versa.

A Mclaren Senna que é a sucessora da P1 é a mais nova integrante da serie Ultimate Series da McLaren que reúne carros exclusivos e super esportivos da marca, a Senna terá produção limitada a 500 unidades que irão custar £750,000 (aprox. R$3.300.000), mas mesmo que você tenha o dinheiro na sua conta bancaria, sinto em lhe informar que todas as unidades já foram vendidas, sendo que a primeira unidade foi leiloada em um evento de caridade da McLaren por £2.4 (aprox. R$10.000.000) e a quantia vai ser doada para a Fundação Ayrton Senna.

Embora todos já tenham sido vendidos, os felizes compradores só irão começar a receber o carro em 2018 que é quando irão iniciar as produções, mas enquanto isso você pode conferir mais algumas fotos do modelo:

Nova heist de GTA Online, “The Doomsday” chega amanhã

Na próxima terça-feira (12) GTA Online irá receber mais um expansão gratuita que dessa vez irá adicionar mais um golpe chamado “The Doomsday” ou “Dia do Apocalipse” e de acordo com a Rockstar essa será um dos golpes mais épicos que já existiu.

Essa nova “DLC” irá adicionar algumas novas missões que fogem um pouco do mundo do crime que estamos acostumados em GTA Online, ao invés disso teremos que salvar o mundo junto com uma suposta inteligencia artificial e um magnata da tecnologia.

“Um magnata da tecnologia bilionário, um agente de inteligência idealista, um fã de teorias da conspiração anti-social e um super-computador neurótico foram forçados a fazer uma aliança improvável para salvar San Andreas da aniquilação total.

“À medida que a ameaça do apocalipse surge de inimigos desconhecidos, tua e a tua equipa de criminosos são encarregues de desenredar mistérios e erradicar ameaças que surgem nas ruas da baixa de Los Santos e se espalham até ao fundo do oceano e às profundezas do Mount Chiliad, numa nova aventura online épica.”

A missão que chega amanhã ao GTA Online deverá chegar junto com novos veículos como um Tanque de Guerra moderno e também um jetpack, além de alguns outros veículos e acessórios que são apresentados no vídeo da missão. Como todas das expansões para GTA Online, essa chegara gratuitamente e estará disponível para os jogadores através de uma atualização.

Nova NVIDIA Titan V, a placa de vídeo para inteligencia artificial

Hoje a NVIDIA anunciou a mais nova placa de video top da empresa, a nova NVIDIA Titan V, que conta com 12GB de VRAM e arquitetura Volta. A nova placa de vídeo irá chegar nas lojas dos EUA por U$3.000 (aprox. R$10.000, sem contar impostos).

Como a empresa anuncia quase todo ano, essa é “a placa de vídeo mais potente já criada”, mas nesse ano a empresa foi além e acrescentou que “essa placa de vídeo é capaz de transformar qualquer computador em um supercomputador de inteligencia artificial”. Para tornar essa façanha possível a Titan V conta com 21,1 bilhões de transistores que empurram a placa a uma potencia de processamento de 110 teraflops (10x mais que uma GTX 1080TI), nada mal né?

Dada a afirmação da NVIDIA e as especificações dessa placa, a Titan V não é uma placa tanto voltada para games e sim mais para a área cientifica como por exemplo os softwares de aprendizagem de maquina e outras diversas aplicações voltadas a inteligencia artificiais que estão em alta hoje em dia.

“O nosso objetivo com a Volta foi empurrar os limites da computação de alta performance e da inteligência artificial. Nós atingimos um novo patamar com os seus novos formatos numéricos, arquitetura de processamento, instruções, arquitetura de memória e links de processamento”, disse o presidente e fundador da NVIDIA Jensen Huang, durante a apresentação da GPU.

“Com a TITAN V, estamos colocando a Volta nas mãos de pesquisadores e cientistas de todo o mundo. Eu mal posso esperar para ver as suas descobertas inovadoras.”

Especificações Técnicas

  • Processo de fabricação: 12 nm
  • Quantidade de transistores: 21,1 bilhões
  • Clusters de processamento gráfico: 6
  • Multiprocessadores de streaming: 80
  • Núcleos CUDA: 5.120
  • Unidades de textura: 320
  • Clock base: 1.200 MHz
  • Clock Boost: 1.455 MHz
  • Capacidade de processamento: 110 TFLOPS (Deep Learning)
  • Tecnologia de memória: HBM2
  • Memória: 12 GB
  • Clock da memória: 850 MHz
  • Velocidade da memória: 1,7 Gbps
  • Interface da memória: 3.072-bit
  • Largura de banda da memória: 652,8 GB/s
  • Cache L2: 4.608 KB
  • Taxa de filtragem de texturas: 384 GT/s
  • Conectores: 3 x DisplayPort + 1 x HDMI
  • Espessura: Dual-Slot
  • Conectores de energia: 1 x 8-pinos + 1 x 6-pinos
  • TDP: 250 watts
  • Fonte recomendada: 600 watts
  • Temperatura máxima de operação: 91 °C

Para quem tiver interesse e recursos, a placa de vídeo já está a venda no site da NVIDIA EUA, mas ainda não há previsão de chegada no Brasil.

Nova Ferrari 812 Superfast já está a venda no Brasil

Por apenas R$3.950.000 a nova Ferrari 812 Superfast pode ser sua, a italiana Ferrari já está aceitando pedidos no Brasil para quem deseja ser o proprietário no novo super-esportivo da marca, mas mesmo que você tenha faça a aquisição agora, as entregas só iniciaram a ocorrer em fevereiro que é quando a empresa irá começar as entregas dos pedidos.

O modelo apresentado durante o GP de F1 no Brasil em novembro conta com nada menos que um motor 6.5 V12 de 800 cv de potencia que promete fazer de 0-100km/h em apenas 2,9 segundos e atinge a velocidade de 200km/h em apenas 7,9 segundos. De acordo com a empresa esse é o modelo mais rápido já produzido em serie pela empresa Italiana.

Ferrari 812 Superfast

O motor dianteiro de 6.5l gera 73,2 kgfm de torque que podem levar o “cavalinho” a até 340km/h e mostra que a Ferrari ainda tem capacidade de mostrar algo melhorado com os motores V12, que ultimamente vem caindo em desuso por questões ambientais e limitações técnicas, mas nenhum desses detalhes parece importar para esse novo monstro sobre rodas.

 

As melhores seeds para terrenos incríveis no Minecraft

Uma das coisas mais impressionantes sobre Minecraft são seus mundos, que são criados de maneira aleatória cada vez que você cria um novo mundo. É praticamente impossível que alguém tenha um mundo igual ao seu, o único jeito de a pessoa conseguir iniciar um mundo igual ao seu é se você fornecer para ela a “seed” do seu mundo, que assim como a palavra em inglês sugere, é a semente que identifica o seu mundo dentre infinitas possibilidades. Apenas um segundo para criar um mundo pode ser a diferença entre você nascer em um lugar com recursos e bem localizado ou nascer no meio de um deserto com poucos recursos, vai tudo da sua sorte.

Felizmente para ajudar os jogadores que querem ter um inicio mais tranquilo ao criar um mundo, o jogo permite que você adicione um “seed” personalizado na hora de criar seu mundo e hoje nós iremos mostrar alguns seeds interessantes para você ter um começo mais interessante:

Loot Poderoso e Vilarejo Aquático

Seed: 66830

Versão: (1.12) 

Alem de contar com uma vila aquática, o que por si só já é incrível, essa vila conta com um bau que contem 7 blocos de obsidian, 9 barras de ferro, 2 barras de ouro, capacete e peitoral de ferro, picareta de ferro e três magníficos diamantes, então além de já ter um lugar para ficar você também irá ter os recursos básicos para iniciar sua aventura.

O Templo Submerso

Seed: -854994388

Versão: (1.12) 

Algumas vezes o algorítimo do jogo faz com que as construções apareçam de forma estranha, como nesse caso em que o templo de areia acabou surgindo submerso na areia e no meio de uma vila. Além de ter uma vila você vai poder pegar o tesouro ao interno do templo que inclui algumas esmeraldas, maças de ouro, ouro e uma sela e armadura para cavalo, ou seja, você já vai sair do templo pronto para domar o seu cavalo.

Vilarejo Gigante a beira do mar

Seed: -43121277

Versão: (1.11) 

Pensando em mudar para o litoral? Esse seed pode ser perfeito para você, pois além de se encontrar perto do mar, você também vai encontrar um raríssimo vilarejo gigante, que nada mais é do que dois vilarejos que spawnaram próximos um ao outro.

Pequena Ilha e Monumento Oceânico

Seed: 1525413704 

Versão: (1.11) 

Quer um lugar para montar uma base antes de tentar invadir o monumento oceânico? Essa ilha é o lugar perfeito para procurar alguns recursos e se preparar para lutar contra os monstros marinhos que defendem a fortaleza submersa e caso precise de mais recursos, o continente não fica muito longe da ilha.

Mansão Assombrada

Seed: 113560767

Versão: (1.11) 

As novas mansões assombradas foram uma das principais características adicionadas ao jogo recentemente, além de ser uma construção gigantesca e esconder diversos tesouros, esconde novos tipos de monstros fortes e perigosos. Embora as mansões sejam gigantes, elas estão entre as estruturas mais difíceis de se encontrar no jogo, podendo fazer com que você leve horas até encontrar uma, mas esse seed deixa tudo mais fácil para você!

Ilhas Flutuantes

Seed: 8061648139126237361

Versão: (1.1)

Lembra de Pandora do filme Avatar, onde existiam varias ilhas que flutuavam? Bem esse mapa lembra bastante o cenário do filme e te deixa a disposição uma montanha e diversas ilhas flutuantes para você construir ou somente admirar.

Ravinas e Mina Abandonada

Seed: 105899026

Versão: (1.1)

As ravinas apesar de serem buracos perigosamente altos, são lugares perfeitos para minerar pois deixam muitos minérios expostos e de fácil acesso. Nessa seed além de você encontrar essa ravina e um vilarejo nas proximidades você também vai poder encontrar uma mina abandonada, para isso basta entrar no poço do vilarejo e cavar direto para baixo.

Papagaios

Seed: -486729613954618 

Versão: (1.1) 

Procurar papagaios no Minecraft não é uma tarefa fácil, mas com essa seed vai bastar algumas sementes e você verá seus novos amigos voarem até você.

Vilarejo Zumbi

Seed: -1956807938 

Versão: (1.1) 

Que tal um cenário de The Walking Dead no Minecraft? Bem, isso é exatamente o que essa seed te oferece, um vilarejo abandonado onde tudo que resta são villagers zumbis que tem como unica intenção, comer seu cérebro.

Floresta de Flores e Planícies de Gelo

Seed: 4837753214958088255 

Versão: (1.8.3)

Encontrar as planícies de gelo com os espetos de gelo são uma coisa bem difícil no jogo e nessa seed além de encontrar isso, de canto ainda tem uma floresta de flores, combinação perfeita para fazer um castelo de gelo ou alguma outra construção de gelo bem decorada.

Oasis Tropical 

Seed: 392800909

Versão: (1.4)

Essa seed é de uma versão antiga do jogo, a 1.4, mas ela faz valer totalmente a pena o downgrade pois nela você encontra um fabuloso oásis no meio do bioma de floresta, combinação perfeita para você construir um resort ou então simplesmente uma cabana para aproveitar seu cantinho privado.

 

 

[Review] Thrustmaster Y-350X Ghost Recon Wildlands Edition

Quando falamos em Thrustmaster a primeira coisa que nos vem na cabeça são os volantes da empresa que são os “queridinhos” de muitos jogadores casuais e profissionais e alguns até mesmo licenciados pela Ferrari, mas a empresa não vive só de volantes e produz também headsets e joysticks para diferentes plataformas, embora esses produtos não sejam tão comentados eles possuem qualidade que segue o padrão da marca e hoje vamos falar do headset Thrustmaster Y-350X Ghost Recon Wildlands, edição especial estilizada com as artes do jogo.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES

As embalagens dos produtos da Thrustmaster não são obras primas de design, mas são bem claras e explicativas na parte externa, deixando claro os principais aspectos do headset e suas respectivas utilidades assim como a barra que mostra o logo da Xbox, que indica que é um produto licenciado oficialmente para ser usado no console, além é claro de ser compatível com uma outra variedade de produtos e atrás das ilustrações do fone é possível ver os detalhes do jogo Tom Clancy’s Ghost Recon: Wildlands que é o licenciamento oficial do jogo que faz com que o design do mesmo também seja diferente. Já dentro da embalagem encontramos o fone e todos os acessórios dentro de plásticos para proteger o produto e tudo isso apoiado de forma bastante firme em um suporte de papelão que lembra uma caixa de ovos. 

Thrustmaster Y-350X - Caixa

Dentro da caixa você encontra o fone, o microfone que vem separado do mesmo pois ele é destacável, encontra o mixer de áudio que é a peça que vai conectada no controle do Xbox One e que vem junto com o PowePack que é uma bateria a parte para o fone e atrás de tudo isso você também encontra o manual do headset com as informações escritas em diversas linguás, entre elas o português, mas com certeza você não vai precisar do manual, pois o fone não tem nenhum mistério em seu utilizo.

SOM

Quando abri o fone para testar pela primeira vez eu estava na frente do computador, então decidi testar ele primeiramente no computador para ver como ele se sairia no PC, sendo que ele foi feito principalmente para Xbox, coloquei uma musica para tocar no ultimo volume e o som do computador é muito bom, quando conectei o fone achei que tivesse algum problema pois o som continuava saindo do mesmo lugar, mas na verdade era só impressão minha, pois na verdade a musica estava saindo do fone no mesmo volume e qualidade que o computador, quando percebi isso levei um susto e então baixei o volume para conseguir colocar o fone na cabeça e ouvir uma musica inteira nele e poder testar em alguns jogos e o isolamento acústico dele embora seja passivo é bem efetivo e fez com que os sons a minha volta ficassem pouco perceptíveis durante a musica ou jogos, mas em geral, fora o volume, o headset não me surpreendeu em nenhum momento enquanto eu jogava ou ouvia musica no computador.

Thrustmaster Y-350X - Pads

A surpresa mesmo ficou por conta do Xbox, eu sou acostumado a jogar usando o SkullCandy SLYR, mas ao conectar o Thrustmaster Y-350X no automaticamente eu já tive uma surpresa com a profundidade e nitidez de som que o Y-350X oferece, o jogo escolhido para o teste foi o Halo 4, que possui diversos efeitos sonoros e falas dos personagens o tempo todo e em um certo momento eu decidi apertar o botão 7.1 quem tem no SoundCommander do próprio fone e foi ai que tudo realmente mudou, embora eu já tivesse jogado esse jogo diversas outras vezes antes, dessa vez parecia que eu estava jogando um outro jogo pois todas as vozes e efeitos ganharam maior profundidade e eu tinha uma percepção melhor da distancia dos inimigos e explosões de mim, o 7.1 embora não seja real, te da a sensação de que você está jogando com um sistema de som 7.1 em volta de você.

Thrustmaster Y-350X

Em relação ao microfone do headset, ele transmite para seus amigos no chat, no servidor, ou onde você estiver se comunicando, um som bem claro e nítido desde que você não fique com o microfone muito proximo a sua boca, pois por não ter nenhum tipo de almofada ou abafador em volta ou na frente, ele transmite todo o tipo de respiração ou vento que pegar no microfone em forma de ruido que acaba atrapalhando a comunicação, mas se você tem um tom de voz mais alto e pode afastar o microfone da sua boca, automaticamente seu problema está resolvido, ou então simplesmente pegue e coloque uma almofadinha daqueles fones de R$10, que você pode ter jogado em algum canto, nele.

DESIGN e CONFORTO

O design no Y-350X Ghost Recon Wildlands segue a mesma linha usada em todos os outros headsets da Thrustmaster com a diferença que ele possui cores e desenhos personalizados com o tema do jogo Ghost Recon: Wildlands, ou seja, o headset possui como cores o preto e o amarelo e nas laterais e no tecido dentro dos pads é possível ver a caveira do jogo, além do nome do jogo que vem impresso na almofada superior.

Review Headset Thrustmaster Y-350X Ghost Recon Wildlands Xbox One

No que diz respeito ao conforto, o Y-350X possui pads com tecido viscoelástico (aquele famoso material dos “travesseiros da NASA”), que é um tecido que possui “memoria” e se adapta ao formato de qualquer tipo de orelha e o mesmo material dos pads é encontrado na parte superior, embora  tenham um tecido confortável, para quem possui a orelha maior o pad pode cansar depois de algum tempo de uso, pois é redondo e não é grande o bastante para ficar por cima de toda a orelha e acaba apertando. Já em relação a parte superior da cabeça o headset é super confortável e passa despercebido, pois além de ter a almofada ele também possui regulagens laterais que podem ser ajustadas de agosto com a preferencia e necessidade de cada pessoa, outro detalhe interessante é o microfone destacável que pode ser conectado e desconectado a qualquer momento no fone, fazendo com que você não precise ficar com o microfone na frente do seu rosto quando você não precisa.

UTILIDADE

O principal diferencial desse fone é o SoundCommander, o controle do headset que vai conectado ao controle do Xbox One, que conta com uma quantidade de configurações consideráveis que permitem você de configurar a intensidade dos graves, o volume do som total, o balanço entre o volume do chat de voz e do jogo, deixar o microfone no mudo, alterar o volume com o qual você ouve sua própria voz (fazendo com que você não grite quando esta usando o fone) e por ultimo, mas não menos importante, ativação do 7.1 Virtual que é um dos grandes diferenciais nesse fone. No que diz respeito ao utilizo do fone em outros dispositivos como no computador ou no celular, o fone não tem segredos, é só conectar o conector P3 no dispositivo que deseja utilizar e conectar o microfone no fone caso precise usa-lo para ligação ou gravar voz, a unica coisa que pode te impedir de utiliza-lo em outros dispositivos é o comprimento do cabo que impede que

Thrustmaster Y-350X - Controller

Embora o fone tenha todas essas funções, ele não irá consumir com a bateria do seu controle, pois ele conta com o PowerPack que é uma caixinha que fica no cabo do fone e que pode ser recarregada através de um cabo mini-usb, que por algum motivo desconhecido e sem sentido não vem junto com o fone, mas esse cabo pode ser conectado no próprio fone e quando carregada o fone usa a bateria do PowerPack ao invés de usar a bateria do controle e se você jogar perto do video-game ou tiver um cabo longo o bastante para alcançar o controle, você pode jogar e carregar o PowerPack ao mesmo tempo.

ESPECIFICAÇÕES

HEADPHONES

  • Formato Headphone: Circumaural
  • Tecnologia de Conexão: Fio
  • Sound Output Mode: 7.1 virtual surround
  • Drivers: 60mm
  • Sensividade: 102dB a 1mw

MICROFONE

  • Tipo: Boom
  • Modo de Operação: uni-diretional

CONTROLE

  • Controle de Volume
  • Controle de Volume de Chat

  • Balanço de Chat
  • Ativar/Desativar 7.1 Virtual
  • Mute
  • Controle de Graves
  • PowerBattery

GALERIA